segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

A empregada


Meu nome é Scotti, tenho 18 anos e vou contar para vocês algo que aconteceu comigo no dia 17/08/2004.
Era uma tarde agradável quando minha mãe chegou e disse:
– Scotti, nossa amiga Judi vai trabalhar aqui em casa de doméstica, pois está passando por dificuldades financeiras.
– Tudo bem, mãe! Por min já teria começado.
Judi é uma garota de 26 anos: morena, olhos castanhos, de cabelos compridos e separada há apenas 3 meses – falo assim porque os conhecia bem, ela e o ex-marido, pois trabalhei com o ele na padaria que tinham.
Judi começou o novo ofício. Enquanto trabalhava, conversávamos algumas vezes. Ela me contava várias coisas, principalmente as posições que trepava com o ex-marido. Um belo dia, estava tomando banho e pedi pra Judi pegar a toalha. Ela entrou no banheiro, colocou a toalha na pia do banheiro e disse:
– Quer que lave suas costas?
Sem nenhuma malícia respondi que sim. Abri o box do chuveiro e entreguei o sabonete pra ela que começou a me ensaboar. Fiquei excitado – meu pau subiu quando os dedos dela tocaram meu corpo. Judi ensaboou meu corpo... De repente, ela agarrou meu pau e falou:
– Nossa! Como este garoto cresceu! Como sua vara está grossa e longa!
– Você quer chupar, Judi?
Mal acabei de falar ela o abocanhou, iniciando um vaivém com a boca. Fui ao delírio com aquela chupeta. Puxei-a para dentro do chuveiro, arrancando-lhe as roupas, e comecei chupar-lhe a buceta. Botei-a de 4 e lhe dei uma lambida no seu cuzinho. Ela abriu bem as pernas e eu coloquei a vara. Quando estava perto de gozar, abri a porta do chuveiro e sentei no vaso. Ela veio, deu mais uma mamada no meu pau, e sentou em cima, pulando e gemendo muito. Eu estava indo aos céus fudendo aquela mulher mais velha que eu. Ela rebolava em cima do meu pau e me deixava louco. De repente comecei a sentir um líquido saindo da buceta dela – ela estava gozando! Meti com mais força. Parei e chupei-lhe toda a buceta. Ela pegou meu pau e começou a bater uma punheta em min. Ela bateu rápido demais e gozei, lambuzando-lhe o rosto. Que merda! Como sofre um cara inexperiente! Uma puta gostosa louca pra meter e eu gozando depois de 10s de punheta! Merda!
Depois daquele dia, trepamos outras vezes e aproveitei mais tempo dentro dela. Realmente, nada como uma trepada seguida de outra... Hoje sei comer minha empregadinha e seguro um pouco mais a hora do gozo.
Podem pensar que é tudo mentira, sem problema! Enquanto vocês pensam dessa forma, pergunto:
– Quem está comendo a Judi, quem?
Respondo:
– Eu!
Valeu!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário